ALDEIAS RESILIENTES


O projeto-piloto Aldeias Resilientes nasceu na sequência do seminário “1.º Encontro para a Autoproteção e Resiliência das Populações Locais”, de 14 de outubro de 2017, realizado na Casa da Cultura de Pedrógão Grande, coorganizado pela AVIPG e pela APROSOC – Associação de Proteção e Socorro.
Cientes das falhas ocorridas no incêndio de junho de 2017 e na situação a que as populações locais se viram sujeitas, o objetivo do projeto é formar e informar as populações para situações similares, constituindo equipas locais de resposta e emergência.
A 25 de novembro de 2017, numa grande ação de voluntariado, foi feito um levantamento exaustivo dos equipamentos, infraestruturas e pessoas das aldeias aderentes ao projeto.
O Plano de Formação envolve, entre outras áreas, noções de Proteção Civil, Comportamento do Fogo e Segurança das Populações, Gestão dos Combustíveis, Primeiro Ataque ao Incêndio na Ótica da Autoproteção, Primeiros-Socorros e Suporte Básico de Vida, Radiocomunicações de Emergência, etc.
Este projeto visa a criação de uma cultura de proteção civil de autodefesa, no qual o cidadão e a comunidade são peças fundamentais na defesa de pessoas e bens.
O projeto-piloto foi apresentado ao Ministério da Administração Interna e à Estrutura de Missão para a Gestão dos Fogos Rurais, contribuindo assim para o programa estatal "Aldeia Segura, Pessoa Segura".
O Aldeias Resilientes foi apresentado ao Grupo Parlamentar Europeu Popular (GPEP) – maior grupo parlamentar europeu, em que esteve presente a Chairman Of The European Parliament’ Committee for Environment, Public Health and Food Safety, responsável pela criação de uma força de proteção civil a nível europeu.

ABRIGO COLETIVO


O projeto-piloto Abrigo Coletivo tem como objetivo instalar dois abrigos coletivos em duas aldeias do projeto Aldeias Resilientes.
Trata-se de uma iniciativa inovadora e pretendem servir para demonstração e referência da implementação de boas práticas para a sociedade em geral e entidades oficiais na conceção e execução de abrigos dotados de soluções passivas e ativas, edificados com atenção às melhores soluções arquitetónicas e técnicas construtivas de forma a serem resistentes aos incêndios florestais.
Este projeto-piloto resulta de uma parceria entre a AVIPG, o CEIF/ADAI, o ITECONS e financiado pelo mecenas Jorge Mendes.

SUSTENTÁVEL


O projeto de investigação pretende estudar as práticas e as estratégias de recuperação das comunidades afetadas pelos incêndios de 2017, de forma a promover comportamentos sustentáveis relacionados com os incêndios florestais.
Este projeto situa-se na mudança paradigmática para a adaptação ao fogo e para comunidades adaptadas ao fogo. O estudo é desenvolvido com base nas experiências vividas dos indivíduos, das famílias e das comunidades de forma a implementar comportamentos sustentáveis que permitam uma coexistência sustentável com os incêndios florestais.
É uma parceria em consórcio com o CES - Centro de Estudos Sociais – e a AVIPG.

HOUSEREFUGE / SAFEHOUSE


O projeto HouseRefuge/SafeHouse pretende desenvolver as melhores práticas disponíveis (BAT) de construção e intervenção no espaço envolvente para a construção de habitações expostas ao fogo, no âmbito do risco de incêndio rural. Para além disso, tem como objetivo analisar as BAT na construção de refúgios. Pretende-se criar ferramentas e informação para:
- Criação de normas específicas para a construção de habitações em áreas com elevado risco de IF;
- Incorporação do risco de incêndio rural na definição de prémios de seguros de habitações;
- Seleção de construções para refúgios em comunidades;
- A construção de refúgios seguros a instalar em comunidades expostas.

Neste projeto será desenvolvido um “refúgio modelo” a ser instalado numa comunidade a selecionar. Para além dos aspetos passivos e ativos de mitigação do risco de incêndio, este refúgio terá outros elementos que garantam as boas condições em caso de incêndio na comunidade: primeiros socorros, água, rádios de comunicação, entre outros.
O projeto SafeHouse tem como base o estudo e conceção de uma moradia unifamiliar na interface com a floresta edificada nas melhores soluções arquitetónicas e técnicas construtivas de forma a torná-la mais resistente aos incêndios florestais.
É uma parceria em consórcio com a ADAI - Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial, o Centro de Estudos Judiciários da UC a AVIPG e o LAETA - Laboratório Associado de Energia, Transportes e Aeronáutica.

OFICINA 4C


É um projeto de promoção de ciência e cultura científica seguida de um conjunto de propostas de âmbito educacional e preventivo sobre os incêndios florestais, como:
- a promoção do conhecimento sobre a temática dos incêndios;
- a sensibilização para a importância da floresta e do ordenamento;
- a prevenção de ignições e dos perigos pós-incêndios.
A Oficina 4C pretende ser uma espécie de mini exploratório dedicado aos incêndios e à floresta, funcionando em parceria com o Exploratório de Coimbra.

PROGRAMA DE ALÍVIO DO TRAUMA


Uma equipa de psicólogos com experiência em trauma realizou na sede da AVIPG, a pedido desta, uma sessão de esclarecimento sobre os sintomas em pós-catástrofe junto da população.

O CRE - Dar Cor à Vida realiza periodicamente na AVIPG o Programa para a Gestão e Superação do Trauma – CRE (Cura, Resiliência e Empoderamento).

O Programa é dinamizado pela Associação Internacional para os Valores Humanos – IAHV, em colaboração com a sua organização parceira a International Art of Living Foundation (IAOLF).

Como ajudar Crianças e Adolescentes a superar Catástrofes


Suporte a Crianças após Traumas, Catástrofes e Morte: Guia para Pais e Profissionais


Livro Infantil: Também nos aconteceu a nós...


"O Meu Luto"


Saúde Mental em situações de Emergência e Catástrofe: Enquadramento


Diretrizes do IASC sobre Saúde Mental e Apoio Psicossocial em Emergências Humanitárias


Psychological first aid: Guide for field workers, de WHO, War Trauma Foundation and World Vision International (versão em português)


O Concelho de Penacova e os Incêndios de Outubro de 2017


Desastres Naturais e Impacto na Saúde Mental (OSIRIS - CES-UC - Universidade de Coimbra)

PLATAFORMA DE VOLUNTARIADO


A AVIPG promove e apoia localmente ações de voluntariado no território devastado pelo incêndio de junho de 2017, em articulação com as populações locais, e com as entidades públicas e privadas presentes no território. A experiência demonstrou que as ações de voluntariado - sejam individuais sejam coletivas - foram uma mais-valia para o processo de recuperação das comunidades locais e do território. Trata-se de uma forma genuína de aproximação entre as pessoas que querem contribuir para a superação de uma catástrofe e aqueles que precisam de sentir que há um Futuro e que não estão só nesse "caminho".
Se têm interesse em construir connosco um plano de ação de voluntariado ou vir a integrar um grupo de voluntários em formação, contate-nos.



Campo de Trabalho Internacional que se realizou entre os dias 17 e 28 de Julho de 2018, numa parceria entre a AVIPG e APJ - Associação Pombal Jovem.

"Enquanto morador do distrito de Leiria, esta era uma realidade que conhecia por testemunhos de amigos, colegas e televisão. Mas ainda não tinha tido a oportunidade de visitar as regiões afectadas. Enquanto Team Leader deste projecto, foi-me dada essa possibilidade, assim como a possibilidade de conhecer mais de perto a vossa Associação, o trabalho desenvolvido, mas sobretudo as populações afetadas.
Acho que falo também por todos os participantes ao dizer que foi uma experiência enriquecedora a todos os níveis.
Há ainda um grande trabalho pela frente. Há memórias, cinzas, perdas que tempo algum ou chuva ou vento podem algum dia levar mas, aos poucos vejo uma região cheia de populações desejosas de renascer das cinzas.
Espero que o nosso contributo tenha ajudado a que de alguma forma esses sentimentos tenham sido aligeirados."

Pedro Barros, Team Leader

Gestão da força de voluntariado no território, instalação de campos de trabalho internacional e organização de missões de voluntários do território para outras regiões.

EXPOSIÇÃO ITINERANTE

“MEMORIAL ARTÍSTICO”


As obras doadas por 100 artistas solidários, entre pintores e escultores, numa iniciativa promovida pelo Lugar do Desenho – Fundação Júlio Resende, integram o “Memorial Artístico”, exposição itinerante organizada pela AVIPG nos municípios afetados pelos incêndios de 2017, num ato de inclusão e efetivo conhecimento e partilha cultural com as populações.

Algumas destas obras foram leiloadas e a receita foi aplicada em bolsas de estudo em Artes para estudantes dos concelhos afetados.

Próximas datas:
20 janeiro a 8 abril – Penela
12 abril a 24 junho – Figueira da Foz
27 junho a 26 agosto - Alcobaça

BOLSAS EM ARTE, CIÊNCIAS E GESTÃO DAS FLORESTAS E CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TURISMO EM ESPAÇOS RURAIS E NATURAIS


O Lugar do Desenho - Fundação Júlio Resende e a AVIPG pretendem atribuir bolsas de estudo aos estudantes naturais dos municípios abrangidos pelos incêndios de Pedrógão Grande, podendo estender a iniciativa, no âmbito e condições constantes do regulamento aprovado, aos concelhos afectados pelos incêndios do outubro de 2017.
Por regulamento, o 1.º ramo das Bolsas é em Artes, o 2.º ramo em Ciências e Gestão da Floresta, admitindo-se contudo a abertura de candidaturas a bolsas em Ciências Agrárias e Turismo em Espaços Rurais e Naturais.

A direção do fundo é constituída por Victor Costa (Presidente da Fundação Júlio Resende), Isolina Carvalho (Secretária do Conselho de Fundadores da Fundação Júlio Resende) e Nádia Piazza (Presidente da AVIPG).

Política de Transparência na Solidariedade

Bolsas em Artes Pintor Júlio Resende

Na sequência da exposição dos Artistas Solidários com Pedrogão Grande, seguida de leilão, o Lugar do Desenho - Fundação Júlio Resende decidiu atribuir os valores obtidos neste evento, em bolsas de estudo para estudantes naturais dos municípios abrangidos pelos incêndios de Pedrógão Grande.
A concessão de bolsas de estudo visa ajudar, direta e indiretamente, as pessoas que carregam o legado imaterial da tragédia.
Os valores atribuídos perfazem um total de 38.625€ (trinta e oito mil seiscentos e vinte e cinco euros).
O valor total disponível a atribuir para as bolsas é de – 38.635€ (trinta e oito mil seiscentos e trinta e cinco euros). A diferença – 10€ (dez euros) será direccionada para ajudas com despesas bancárias (Comissões de Transferências, imposto de selo e eventuais comissões de manutenção).

Foram atribuídas oito bolsas de estudo aos seguintes estudantes:

- André Marçal Farinha;
- Carolina Alves Luís;
- Daniel Filipe da Costa Domingos;
- Diana Filipa Coelho Mendes;
- Maria Carolina de Melo Falcão;
- Nelson Marçal Farinha;
- Rui Miguel Mendes Nunes;
- Soraya Melissa Silva Martins.

O valor médio atribuído de cada bolsa foi de 375€ mensais durante o período de tempo que o candidato levará a terminar o curso em tempo regular e com bom aproveitamento.

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO
LUGAR DO DESENHO—PEDRÓGÃO GRANDE

Bolsas em Artes Pintor Júlio Resende

O Programa de Bolsas de Estudo em Ciência e Gestão das Florestas denominado “Bolsas Lugar do Desenho—Pedrógão Grande”, subsidiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, foi criado com o intuito de ajudar, directa e indirectamente, os estudantes do ensino superior dos municípios abrangidos que carregam o legado imaterial da tragédia—ajudar a redescobrir razões de esperança, antever diferentes horizontes e oportunidades, abrir novas perspectivas, olhar em frente.

De acordo com o regulamento, os documentos a apresentar são os seguintes:

1. Declaração de residência em Pedrógão Grande ou declaração de ascendente familiar residente confirmada pela Junta de Freguesia;

2. Declaração das razões económicas do candidato e, entre outras informações, a especificação do número das pessoas do agregado familiar e as profissões exercidas;
3. Breve historial escolar até à data da candidatura à bolsa confirmado pelo Estabelecimento de Ensino que frequenta actualmente;
4. Ficha de inscrição devidamente preenchida.

A candidatura deve ser apresentada, até dia 31 de dezembro 2018, por email para info@lugardodesenho.org com conhecimento para afvipg@gmail.com.

Consulte o regulamento e a ficha de inscrição.